Ghita, de Aïcha Haroun El Yacoubi: uma dramaturgia do afeto

Autores

  • Eduardo Okamoto

Palavras-chave:

Aïcha Haroun El Yacoubi, Teatro no Magreb, Dramaturgia, Cultura árabe, Mulher no teatro árabe

Resumo

O artigo apresenta aos pesquisadores brasileiros a marroquina Aïcha Haroun El Yacoubi – dramaturga e diretora de teatro. No texto, o autor relata a sua participação no Festival Internacional de Expressão Corporal Teatro e Dança de Agadir, no Marrocos, coordenado, em 2008, por Aïcha. Além disso, discorre sobre os intercâmbios que mantém com essa artista, incluindo a montagem de sua obra, Ghita, inédita no Brasil.

Biografia do Autor

Eduardo Okamoto

Possui Bacharelado em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em 2001, Mestrado (2004) e Doutorado (2009) em Artes pela mesma instituição. Atualmente é professor da Unicamp. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Interpretação Teatral, atuando principalmente nos temas: dramaturgia de ator; mímesis corpórea/imitação de corporeidades; treinamento psicofísico. Apresentou espetáculos e ministrou workshops, palestras, debates e demonstrações técnicas em diversos estados brasileiros e também no exterior: Espanha, Suíça, Alemanha, Marrocos, Kosovo, Escócia e Polônia. É autor do livro Hora de Nossa Hora: o menino de rua e o brinquedo circense (Editora Hucitec, 2007).

Referências

ARTAUD, Antonin. “O teatro e a peste”. In: O teatro e seu duplo. Trad. Teixeira Coelho. São Paulo: Max Limonad, 1987.

BECKET, Samuel. Esperando Godot. Trad. Fábio de Souza. São Paulo: Cosac Naif, 2007.

FÁLCON, Alexis. “Ghita” honra a los burlados “moros” que trajo Franco. Santiago de Compostela: La Voz da Galicia, 21 mar. 2006.

Yacoubi, Aïcha Haroun El. Ghita. Inédito.

Downloads

Publicado

08/07/2015

Como Citar

Okamoto, E. (2015). Ghita, de Aïcha Haroun El Yacoubi: uma dramaturgia do afeto. Olhares, (2), 146-151. Recuperado de https://olharesceliahelena.com.br/index.php/olhares/article/view/39