A oralidade e a consciência da efemeridade

Autores

  • Fátima Saadi Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Biografia do Autor

Fátima Saadi, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Graduou-se em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), em 1977, e em Teoria do Teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), em 1980; concluiu, em nível de especialização, os cursos de Filosofia da Arte (1980) e Aperfeiçoamento em Filosofia (1981)no IFCS/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); concluiu o Mestrado (1990) e o Doutorado (1998) em Comunicação e Cultura pela UFRJ. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Teatro e seu trabalho engloba atividades como tradutora, editora, jornalista e professora. Sua tese de Doutorado, A configuração da cena moderna: Diderot, Lessing e Lenz investiga os antecedentes remotos do surgimento do conceito de encenação teatral a partir da obra de dramaturgos que desenvolveram reflexão teórica sobre sua atividade e sobre o panorama teatral de sua época. Edita a revista Folhetim e a coleção Folhetim/Ensaios no âmbito da companhia carioca Teatro do Pequeno Gesto, na qual trabalha como dramaturgista.

Downloads

Publicado

08/07/2015

Como Citar

Saadi, F. (2015). A oralidade e a consciência da efemeridade. Olhares, (2), 56-57. Recuperado de https://olharesceliahelena.com.br/index.php/olhares/article/view/31

Edição

Seção

Trabalho de tradução no teatro