Sobre a Revista

Histórico do periódico

Em 2009, um ano após o início das atividades acadêmicas da Escola Superior de Artes Célia Helena, a revista Olhares apontava um novo olhar sobre as Artes da Cena, abrindo o debate cultural, artístico e técnico que movimentou e movimenta a cena artística. Idealizada por Lígia Cortez, atriz, diretora e editora responsável da ESCH, Olhares nasceu da parceria e troca com pensadores e pesquisadores com larga e renomada carreira acadêmica e artística. A Olhares tem o prazer de nascer e resistir sob a condução de editores especialmente convidados: Luiz Fernando Ramos (USP), no primeiro número; André Carreira (UDESC) e Walter Lima Torres (UFPR), no segundo número; Mariângela Alves de Lima e Maria Thereza Vargas, no terceiro número.

A diversidade de pesquisadores e profissionais das Artes da Cena, congregados tanto no Conselho Editorial como na relação de autores de textos publicados pela Olhares, demonstra, desde o início, a valorização de um diálogo aberto e plural e o estímulo à independência ideológica. As pesquisas desenvolvidas na ESCH desdobraram-se nas seções deste periódico e exprimem o ímpeto de compreender a prática artística a partir de distintos pontos de vista. 

Em 2017, a revista passou a vincular-se ao Mestrado Profissional em Artes da Cena, reconhecido pela portaria dos cursos de pós-graduação stricto sensu recomendados pelo Conselho Técnico-Científico da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Atualmente, a Olhares, identificada com a disseminação das pesquisas por meio da comunicação digital, está aberta para submissões de pesquisadores e profissionais, artistas e técnicos, que contribuam com pesquisas e "olhares" que proponham reflexões e caminhos inovadores sobre as artes da cena. 

 

Foco e Escopo

 

A missão da revista Olhares consiste em estimular e difundir o pensamento sobre as Artes da Cena, sobretudo o teatro, visando promover as pesquisas na área e o diálogo entre teoria e prática, produção acadêmica e profissional.

 

Processo de Avaliação pelos Pares

O processo avaliativo por pares (peer review) garante a democratização do periódico acadêmico, sem perder de vista o compromisso com a qualidade do material veiculado. Os textos devem ser submetidos na forma de arquivos anônimos e serão encaminhados pelos editores a pares de avaliadores externos que, dentro do prazo de 4 semanas, tecerão um parecer a respeito dos textos recebidos. O texto será analisado, considerando-se a pertinência do trabalho em relação à composição de revista e eventuais alterações, de conteúdo ou de formatação, serão propostas para uma publicação satisfatória que privilegie a conformidade entre autor e equipe editorial.

 

Periodicidade

Semestral

 

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.