Dramaturgias do Futuro

Autores

  • Isabela Mota Faculdade Célia Helena

Palavras-chave:

Performance, Livre Brincar , Corpo, Arte Educação, Programa Curumim

Resumo

O presente artigo parte da pesquisa em processo “Dramaturgias do Brincar”, na qual foi realizada observação e registro regular dos dias de Livre Brincar de duas turmas de crianças participantes do Programa Curumim, no Sesc Interlagos, por uma educadora que integra a equipe socioeducativa dessa unidade do Sesc São Paulo. Durante a investigação, a pesquisa foi atravessada pela pandemia e seus desdobramentos ligados à necropolítica instaurada no Brasil hoje, esse fator interferiu no olhar destinado ao material. A relevância da liberdade dos corpos ao brincar tomou lugar de destaque, junto à relação de semelhanças entre o brincar e a performance, especialmente no que diz respeito à construção dos corpos e suas experiências. A proteção de corpos e, por consequência, dos saberes neles guardados é um movimento de resistência frente ao número de vidas perdidas nesse contexto. A preservação para o futuro de espaços que permitam esses corpos existirem coletivamente é essencial na reinvenção da sociedade que está por vir.

Biografia do Autor

Isabela Mota, Faculdade Célia Helena

É educadora, artista e pesquisadora. Formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), pós-graduada em Direção Teatral na Escola Superior de Artes Célia Helena (ESCH). Dirigiu o espetáculo A Ilha com a Cia. Baleias Grupo de Teatro e é autora da publicação independente Doradillos. Atualmente faz parte do quadro de educadores do Sesc Interlagos. Mestra em Artes da Cena pela ESCH com a pesquisa Dramaturgias do Brincar, sob orientação da Profa. Dra. Giuliana Simões.

Referências

COHEN, Renato. Performance como linguagem. São Paulo: Perspectiva, 2013.

FABIÃO, Eleonora. Performance e teatro: poéticas e políticas da cena contemporânea. Sala

Preta, 8, 235-246. 2008. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v8i0p235-246

HOOKS, Bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. São Paulo:

WMF Martins Fontes, 2013.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das Encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula Editorial. 2019.

KRENAC, Ailton. O Amanhã não está a venda. São Paulo: Companhia das Letras, 2020.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Trad. Renata Santini. São Paulo: N-1 Edições, 2018.

PARK, M.B. FERNANDES, R.S. (2015). Programa Curumim: memórias, cotidiano e

representações. São Paulo: Edições Sesc São Paulo.

SAURA, Soraia Chung. A Pedagogia do Movimento na Perspectiva do Lazer. In:

territóriodobrincar.com.br 2015.

SAURA, Soraia Chung. O imaginário do Lazer e do Lúdico anunciado em práticas

espontâneas do corpo brincante. São Paulo: Revista Brasileira de Educação Física e Esporte.

Ed. número 20. 2014.

SIMAS, Luis Antonio. O corpo encantado das ruas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

WINNICOTT, D. W. (2019). O Brincar e a Realidade. trad. Breno Longhi. São Paulo: Ubu

Editora. Originalmente publicado em 1975.

Downloads

Publicado

03/04/2022

Como Citar

Mota, I. (2022). Dramaturgias do Futuro . Olhares, 8(1 e 2), 21-31. Recuperado de https://olharesceliahelena.com.br/index.php/olhares/article/view/147